quarta-feira, 3 de março de 2010

DUAS TEORIAS SOBRE A ORIGEM DA VIDA

Queremos apresentar duas hipóteses para explicar a origem da vida em nosso planeta: a panspermia e a teoria da evolução química. A panspermia considera que a vida na terra teve origem dos seres vivos, ou de substancias que vieram do cosmo. Assista o vídeo abaixo para conhecer mais sobre a teoria da panspermia.



A teoria da evolução química fala que a vida se originou a partir de uma evolução química, onde a união de substancias inorgânicas originou moléculas orgânicas simples., que por sua vez, juntas produziam moléculas mais complexas que originaram estruturas capacitadas de realizar o metabolismo, os seres vivos.

Essas duas idéias podem ser complementares: se a vida surgiu por uma evolução química e não por matérias inorgânicas, inanimadas, a terra primitiva poderia apresentar condições para o surgimento da vida.

A terra primitiva era hostil: a temperatura chegava a níveis altíssimos a ponto de fundir as rochas. Asteróides viviam caindo e chocando-se com a superfície terrestre, contribuindo assim para o aumento da temperatura e da massa do planeta.

A Terra tem uma atmosfera em sua volta. Alguns cientistas acham que a água e os gases atmosféricos, constituintes da atmosfera, originaram-se do interior do próprio planeta. Outros, porém, acham que a Terra primitiva devia ser árida e seca e que quem trousse a água e os gases foram cometas e asteróides, que se chocavam com a Terra em formação. Descobertas recentes afirmam que a maior parte da água e do elemento carbono da Terra chegou com os asteróides que se incorporaram ao planeta durante sua formação.

Com a perda de calor para o espaço cósmico, a superfície da Terra esfriou, formando uma camada rochosa, a futura crosta terrestre. Como a superfície era ainda muito quente, a água evaporou acumulando-se na atmosfera em forma de vapor d’água.

Ao atingir as camadas mais frias e superiores, o vapor d’água se condensava, formando nuvens, provocando chuvas. E isso se repetia ciclicamente. Acredita-se que na Terra com um pouco mais de 500 milhões de idade, ocorreram tempestades de chuvas sem intervalos durante milhões de anos. Assim fazendo com que a superfície da Terra esfriasse e acumulando água líquida nas regiões mais baixas da crosta, formando os oceanos.

A origem das moléculas orgânicas que formaram os primeiros seres vivos até hoje há controvérsias. Experiências mostram que essas moléculas podem ter se formado a partir de reações entre moléculas dos gases atmosféricos da Terra primitiva. Porém descobertas recentes afirmam que tais moléculas podem ter virado por cometas e asteróides vindos do espaço sideral.

Stanley Lloyd Miller construiu um aparelho semelhante ao da figura ao lado para simular as condições existentes na Terra primitiva. No simulador foi colocado uma mistura de gases metano, amônia, hidrogênio e vapor d água. Os gases simulavam a atmosfera da Terra e as descargas elétricas simulavam as tempestades ocorridas na Terra primitiva. Também havia um condensador, que misturava os gases e esfriava-os. O vapor d’ água que tinha na mistura se condensava, escorrendo e acumulando água na parte inferior do aparelho. Um aquecedor fazia com que a água liquida evaporasse. Após deixar uma semana o simulador funcionando, Miller examinou o liquido acumulado na parte inferior e assim descobriu que havia a presença de algumas substancias como os aminoácidos alanina e glicina, além de outras...

A composição da atmosfera da terra primitiva é muito diferente do simulador de Miller. Com esse experimento muitos cientistas realizaram os seus, que simulavam as condições existentes na terra rudimentar e neles foram encontradas substâncias orgânicas dos seres vivos. Defendendo a idéia de que o nosso planeta teria condições suficientes para ter formado a vida.

Variáveis substâncias químicas que estão presentes nos seres vivos já foram detectadas em corpos celestes ou foram feitas em laboratórios que imitam as condições na terra primitiva. Então os ingredientes básicos para a formação da vida na terra poderiam estar evidentes desde as primeiras eras.

Os processos químicos dos seres vivos atuais ocorrem dentro das células, isolado do ambiente térmico pela membrana plasmática. É esta membrana que garante as condições necessárias para os processos e reações químicas importantes à vida. Se esta for rompida, a célula morre. Por isso é considerado importante na origem da vida o aparecimentos dos sistemas químicos que são separados do meio externo por uma membrana. Esses sistemas podem ter sido unidos a moléculas orgânicas vindas da atmosfera ou do espaço e que se acumularam em lagos e mares em formação elevados pelas chuvas torrenciais.

Essa hipótese baseia-se na idéia de que acumulados de proteínas podem formar soluções com certo grau de acidez e salinidade. Em outros casos esses aglomerados se mantêm estáveis por causa de uma molécula de água ao seu redor. Essas estruturas são chamadas de coacervados. E a microsfera são as proteínas que organizadas formam uma película ao redor da molécula orgânica. Ambos não são seres vivos e deixam muitas duvidas com, o tudo começou, porém, sem melhores respostas, essas estruturas indicam um caminho à origem dos primeiros seres vivos.

Com essas moléculas precursoras da vida os aglomerados isolados do ambiente conseguiram manter a organização durante algum tempo. O salto definitivo a vida teria ocorrido quando esses isolados moleculares conseguiam cresce e reproduzir. Um passo crucial na origem dos seres vivos foi de originar seus semelhantes. Hoje em dia, na reprodução biológica as informações genéticas são transmitidas pelos genitores à sua descendência. A maioria dos seres vivos obtém suas informações genéticas do DNA.

Existe a idéia de que o RNA seria um material genético primordial. Testes de laboratórios comprovaram essa hipótese mostrando que moléculas de RNA podem ser capazes de se multiplicar e originar outras moléculas semelhantes. Alem disso, moléculas de RNA, podem controlar diretamente as reações químicas. Reações importantes ocorridas na célula, como união dos aminoácidos para produção de proteínas são controladas diretamente por moléculas de RNA, denominadas ribozimas.

O fato do RNA se multiplicar e originar moléculas parecidas supõe que esse ácido no nucléico poderia estar presente no início da vida, por isso é usada a expressão: “o mundo do RNA” por alguns cientistas. Alguns acreditam que foi nesse tempo que a seleção natural passou a atuar. Acredita-se que esse foi o primeiro passo ao desenvolvimento de um “sistema genético”, que pode ter surgido antes mesmo do aparecimento de sistemas isolados por membranas.

Texto produzido pelas queridas alunas Juliana Gois e Luiza Amarante


Fonte:
http://2.bp.blogspot.com/_4jCJsRzxVo0/SZqiZnRHXGI/AAAAAAAAB4I/nazYdXfY7Ig/s400/DNA1.jpg



http://2.bp.blogspot.com/_4WxI8RLKoLE/SwfKRRuLqZI/AAAAAAAAAFQ/1fgJlTDZSJY/s400/vesicles.jpg



http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/e/e1/Hammerhead.png/250p-Hammerhead.png

Nenhum comentário: