quarta-feira, 5 de maio de 2010

Tradução é Transformação

Você já parou pra pensar porque a síntese de proteínas é conhecida por tradução? É simples: quando uma célula fabrica a proteína, ela está mudando a linguagem. Espero que você compreenda isso melhor após ler o texto abaixo e analisar cuidadosamente as imagens e os vídeos que selecionei.

Antes de mais nada, namore um pouco com a imagem ao lado. Você chama isso de namoro? Foi tão rápido, só um flerte. Demore um pouco mais e veja que no núcleo da célula, uma molécula de DNA serve de modelo para formar um RNA mensageiro. Perceba a seta indicanco que esse RNA está indo para o citoplasma. Cuidadosamente, conheça os personagens envolvidos nesse processo e que estão no citoplasma: aminoácidos, RNA transportador (foram representados como uma cruz amarela) e finalmente o ribossomo, que foi representado enorme, vermelho - bem diferente daquele pontinho preto que costumamos identificar nas células. É nele que vai ocorrer a síntese de proteínas.


Você já sabe que quando o DNA fabrica outro DNA, ele está se duplicando, por isso chamamos esse fenômeno de duplicação. Primeiro analise o esqema simplificado e em seguida, veja o processo em detalhes:



Se um DNA separar suas fitas para fabricar um RNA, esse processo será chamado de transcrição porque a cadeia de nucleotídeos formada é um pouco diferente: haverá uracila no lugar da timina e ribose no lugar da desoxirribose,  mas não deixa de ser uma cadeia que reúne nucleotídeos. Ou seja, a linguagem não muda.

Clique aqui e assista o DNA modelando o RNA: observe que cada base nitrogenada de um DNA determina a base do RNA. Depois que esse molde ficar pronto, o RNA levará a mensagem do DNA para o citoplasma, mais precisamente para o ribossomo, onde o código se transforma em uma proteína! Mas porque dizemos que a linguagem é diferente? Nesse processo, o que interessa não é mais um nucleotídeo e sim três. Cada trio de nucleotídeo do RNA é chamado códon que e específico para um aminoácido.



Os aminoácidos são transportados por outro tipo de RNA chamado transportador. Um RNA transportador terá em uma das extremidades um anti-códon - com bases correspondentes e na outra extremidade, um aminoácido. Veja:





Observe que o anti-códon é complementar ao codon que está no RNA mensageiro.

A síntese de proteínas começa com AUG (o códon de iniciação) que corresponde ao anti-codon UAC que carrega o aminoácido metionina. A síntese pode terminar em três códons diferentes: UGA, UAA e UAG  (códons de terminação). Esses códons são chamados de terminação porque não possuem moléculas de RNAt correspondentes.



Você deve ter percebido que cada códon é correspondente à um único aminoácido, mas um aminoácido pode ser carregado por diferentes anti-códons. Por isso, os aminoácidos são chamados degenerados. 

Para usar a tabela de código genético, considere o códon do RNAm: a ordem das bases é o que importa agora. A primeira letra corresponde a primeira coluna da tabela. A segunda letra, corresponde à primeira linha, acima da tabela. A terceira letra,corresponde à segunda coluna, a da direita. É assim que você descobre qual é o aminoácido que irá encaixar no códon e saberá qual é a sequência de aminoácidos ao longo da cadeia.
Complexo? A vida é assim... Clique aqui para ver o belíssimo processo da tradução.
Se você se apaixonar, não será o único!

Agora é com você: acompanhe e explique o que acontece no video abaixo:

2 comentários:

Mariane disse...

ADOREIII ... Parabéns

Mariane disse...

ADOREIII .. Parebéns .. simplificado e objetivo ...