quinta-feira, 3 de setembro de 2009

PLS - PROJETO DE LEI DO SENADO, Nº 480 de 2007

Em 2007 o Senador Cristovam Buarque apresentou uma proposta ousada: que político eleito (vereador, prefeito, deputado, etc.) seja obrigado a colocar os filhos na escola pública.
Infelizmente o senado não parece ter levado essa proposta muito à sério. É uma pena. Quando os políticos se virem obrigados a colocar seus filhos na escola pública, a qualidade do ensino poderia sofrer grandes impactos. Não sei se os professores iriam suportar os anjinhos...

Autor: SENADOR - Cristovam Buarque
Ementa: Determina a obrigatoriedade de os agentes públicos eleitos matricularem seus filhos e demais dependentes em escolas públicas até 2014.
Data de apresentação: 16/08/2007
Situação atual: Local: 18/06/2009 - Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania
Situação: 17/04/2009 - AGUARDANDO INSTALAÇÃO DA COMISSÃO
Indexação da matéria: Indexação: FIXAÇÃO, OBRIGATORIEDADE, AGENTE PÚBLICO, OCUPANTE, CARGO ELETIVO, EXECUTIVO, LEGISLATIVO, REPÚBLICA FEDERATIVA, ESTADOS, (DF), MUNICÍPIOS, MATRÍCULA, FILHOS, DEPENDENTE, ESCOLA PÚBLICA, EDUCAÇÃO BÁSICA, ENSINO FUNDAMENTAL, ENSINO DE PRIMEIRO GRAU, DEFINIÇÃO, PRAZO MÁXIMO, APLICAÇÃO, NORMAS.

6 comentários:

dahlia disse...

Ola, Silvania.
Gostei do seu blog, ele eh muito bom... e criativo.
Soh queria me manifestar sobre a PLS 480/07, em que vc diz que o senador Cristovam Buarque nao levou muito a serio esse projeto. Discordo. Ele eh um ferrenho batalhador da causa da educacao, e pelos plenarios e repercussao midiatica em que acompanho, ele jamais deixou de mencionar o projeto de lei quando em momento oportuno. Referia-se a ele com grande entusiasmo e exaltacao, tipico de sua personalidade quando se trata destes assuntos. Teve ateh um dia em que o senador Geraldo Mesquita (PMDB-AC), em sessao plenaria, disse ao senador Cristovam que este projeto nunca passara (nunca sera aprovada) pois nenhum politico ficara interessado em ve-lo sancionado. Acrescenta que no minimo levantaria uma acirrada discussao.
Talvez a seridade nao eh transparecida porque a conjuntura politica refuta estes tipos de projetos, enquanto que o senador, sozinho, na maioria das vezes, esta la no Senado com a bandeira da educacao na mao. Esse eh um dos motivos pela qual os seus colegas o satirizam chamando-no de senador da educacao.

Seu blog eh muito bom.
Parabens

Lucas Ken

Roberto disse...

Naturalmente, esse Projeto (se transformado em lei) não traria mudança, pois os ricos (que não são agentes públicos, continuariam a matricular seus filhos nas escolas particulares. Por outro lado, é um equívoco o jargão "a escola pública é ruim e a escola particular é boa". Em primeiro lugar, com raríssimas excessões, se houver, as escolas particulares são muito ruins. Aquelas que se diz "boas" preparam os alunos para os vestibulares e não se preocupam com uma educação de qualidade, necessariamente integral e promovedora do desenvolvimento do pensamento lógico e da cidadania. Mesmo com esses critérios, á grande maioria das escolas privadas são "espeluncas" sem qualquer compromisso com uma Educação de qualidade. Por outro lado, há muitas Escolas públicas que oferecem uma Educação de alta qualidade. De todo modo, a sociedade tem instrumentos mais eficazes para fazer com que as Escolas públicas sejam todas de boa qualidade. De todo modo, esse tema não pode ser tratado de modo simplório e superficial, pois envolve variáveis de alta complexidade.

Danieli disse...

Resposta à Dahlia.

A Educadora disse que o senado não levou muito a sério e não o senador!

marcos aurelio garcia nunes disse...

Olá, Educadora,
Bom, a princípio peço-lhe licença para expressar meus pensamentos quanto a PLS nº 480/2007. No meu ponto de vista o projeto é uma excelente ideia, mas feri o art.5º paragráfos I,II, VIII, IX e X da Constituição Federal Brasileira. Históricamente o nosso país está atrasado educaionalmente há mais de 60 anos. Atualmente falar de Educação é um conceito totalmente discriminado. Os Educadores lamentavelmente perderam suas excelências "Autoridade" dentro do contexto Educacional. Os discentes não respeitam mais os "Mestres" antigos pseudônimos dados àqueles professores, hoje para ser Mestre o Educador tem que ter o Mestrado e mesmo assim poucos os reconhecem como tal. Cara Educadora, os nossos políticos deveriam fazer menos Leis e terem mais atitudes, afinal o Senador autor do Projeto de Lei têm um projeto audacioso que fixa o salário dos professores brasileiros... Estamos aguardando, é claro que, médicos com graduação tem um salário médio de R$ 6.705, pra cuidar de vidas e o Professor com NBA, e até mesmo doutorado recebendo em nosso país o salário da classe R$ 1.600, este responsável por modelar a vida destes que serão doutores amanhã. É isso amiga, ainda vai demorar muito para que, alguém transforme em realidade a nossa Educação. Políticos o Brasil precisa é valorizar o PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO, só assim seremos um povo com vontade do primeiro mundo.
Marcos Garcia
Professor

Thiago disse...

Não foi o Senador Cristovão que não levou a idéia a Sério, doi o Senado Federal que ão levou.

Thiago disse...

Não foi o Senador Cristovão que não levou a Sério a idéia mas sim o Senado Federal.