sábado, 3 de abril de 2010

Abuso sexual na escola

O caso da menina de seis anos que foi violentada sexualmente por 23 colegas de classe mostra que a  infância pode ser atroz e que a escola, como nenhum outro meio, não é necessariamente um lugar seguro. No País de Gales, onde ocorreu o fato, não se sabe o que fazer com os abusadores porque os acusados  são menores de 10 anos e há falta de provas.  A denúncia é de que a menina enfrentou abusos e intimidações por meses até que a mãe descobrisse, graças ao relato de outra mãe, cuja filha também teria sofrido abusos. Até que o inquérito seja concluído, o nome da instituição ficará em sigilo e nenhuma criança acusada foi expulsa da escola.  Mas a mãe da garotinha, vítima dos  abusos recorrentes, procurou outro local para a filha estudar em paz. Ao sair da escola, a mãe entrou com uma ação na justiça obrigando as autoridades educacionais a finalmente investigarem o caso.

Todos os dias crianças sofrem abusos sexuais: em casa, na escola, na igreja... Na maioria das vezes, quem abusa deixa marcas para sempre e é uma pessoa acima de qualquer suspeita. As vítimas choram por ajuda e nem sempre há quem possa socorre-las. Pais, irmãos, líderes religiosos, professores ou qualquer outro que lida com crianças e adolescentes devem estar atentos para qualquer sinalização que as crianças vítimas da abuso costumam trazer como: mudança de comportamento, tristeza, ausência, marcas no corpo...

Em alguns países, como nos Estados Unidos, os educadores são treinados para perceber e denunciar sinais de abuso. Antes de assumir o cargo de educador, os profissionais recebem orientações e são alertados de que se não perceberem ou não denunciarem serão co-responsabilizados nos inquéritos de abusos.

No Brasil, tão importante quanto à inclusão digital, é incluir a prevenção de atos abusivos na infância e na adolescência. Será porque isso não acontece? Será que os notebooks dão mais votos? Ou será que se levantarmos os tapetes, na alta classe política também encontraremos atrozes que não punem pelo medo de um dia serem punidos?

4 comentários:

Odivia Barros disse...

Silvania,

Parabéns pelo blog. O abuso sexual infantil é um assunto seríssimo e que deixa marcas por toda a vida. E a escola e o educador são importantíssimos nessa luta. Em 2011 lançarei um livro infantil para trabalhar essa questão com crianças na educação infantil. Gostarei de saber sua opinião sobre o meu livro.

Abraços,

Odívia Barros

Anônimo disse...

O abuso sexual infantil é uma das maiores calamidades que existe desde os tempos da antiguidade. Que causa marcas profundas no individuo, que interferem em suas relações sociais e afetivas. E por esse motivo todos os profissionais da sociedade devem ficar de olho para ajudar as vitimas para que elas superem o trauma do abuso sexual.

Parabéns pelo Blog. Tenho certeza que ele esta sendo um bom meio informativo sobre o assunto...


Abraços...
Ass: Cleverson Oliveira

Odívia Barros disse...

Livro SEGREDO SEGREDÍSSIMO,primeiro livro infantil contra o abuso sexual. Segue link, tem mais info no Google. Nossa sociedade precisa colocar o abuso sexual infantil como tema transversal para que as crianças sejam adequadamente orientadas sobre como se protegerem.

http://www.postdobem.com.br/?p=2414
Beijos!

Anônimo disse...

fui vitima de abuso sexual enquanto criança e parte da adolescencia, depois que percebi que o que acontecia não era culpa minha, resolvi aos vinte anos estudar sobre o assunto e me lançar na perspectiva de ajudar crianças e adolescentes a se prevenirem e aos pais e ou responsaveis a identificar e previnir o abuso por que isso é algo marcante e muito dolorido.