quinta-feira, 3 de junho de 2010

A Contemporânea Cabeça de Porco da Rua do Riachuelo

Quem ainda se lembra da menina encontrada morta no Flamengo? Esse caso chocou os moradores do meu condomínio porque somos  vizinhos do prédio invadido onde ela morava, na rua Riachuelo. Trata-se de um prédio abandonado pelo INSS, há cerca de 10 anos e que é ocupado por pessoas em situação de rua, inclusive muitas crianças pequenas. 
No dia 11 de março, ao passar por esse prédio aproveitei que estava acompanhada e resolvi tirar uma foto para publicar aqui no blog. Mas quando tentei fazer isso, um homem chegou da janela gritando que era proibido tirar fotos. Ao questionarmos as razões ele disse, em alto e bom tom:

- Se insistir, vocês podem perder a câmera ou a vida. Vocês escolhem!


Optei pela vida, mas você pode ver essa cena quando quiser, basta vir para a Lapa ou clicar aqui. Ao passar pelo prédio, você irá se deparar com muito lixo acumulado, mau cheiro e esgoto acumulado no local que um dia deve ter sido um jardim. A cena que vocês verão certamente irá remeter à essa capa da Revista Ilustrada de 1893

Hoje, o que brota dos jardins do prédio do INSS são focos de doenças e o histórico descaso das autoridades. Na calçada, e as vezes na rua, as crianças brincam semi-nuas e descalças, comem alimentos sujos e abraçam as pessoas que passam na porta a fim de descolar uma esmolinha. Frequentemente assistimos maus tratos por parte dos adultos que deveriam cuidar delas. Os pequenos vendem balas enquanto os adultos, ociosamente, ocupam a calçada.

Por pena, as pessoas costumam comprar as balas ou levar doações. Mas até que ponto não agravam ainda mais o problema? A situação desses cidadãos remetem às imagens que nos chegam da África e me faz lembrar das lições de James Shikwati. Para ele, a ajuda à África é mais prejudicial que benéfica. Os mesmos efeitos desastrosos da política de desenvolvimento ocidental na África são detectados aqui na Lapa. Nossos governos também acumulam históricos de corrupção ao mesmo tempo em que discursam sobre política de revitalização. 

Como Shikwati, eu gostaria de pedir: Pelo amor de Deus, parem de ajudar a perpetuar essa situação! Quem traz donativos para esse prédio certamente tem boas intenções: querem eliminar a fome e a pobreza, mas essas intenções estão prejudicando a Lapa e principalmente aquelas pessoas. Essa terrível ajuda alimenta a ociosidade dos adultos e não melhora a situação das crianças. Apesar das doações que foram despejadas ao longo de dez anos de ocupação, aquela comunidade não consegue o mínimo de dignidade. O dinheiro da ajuda que chega ensinaram nossos vizinhos a ser mendigos, e não independentes. 

Desse prédio imundo, saem inúmeras caixas de cerveja e alimentos que serão vendidos nas ruas da Lapa. Por mais absurdo que possa parecer, à poucos metros do prédio há um órgão da prefeitura, a Vigilância Sanitária, que deveria fiscalizar o comércio de alimentos e de produtos para a saúde

Ao deparar com tanta sujeira me pergunto: se esse prédio fosse desocupado, será que os funcionários públicos que deveriam governar a cidade, fiscalizar e/ou estabelecer a ordem, cobrar impostos, zelar pelas crianças... seriam duramente atingidos? Será que é por isso que nenhuma providência foi tomada até hoje?

Um comentário:

Luciana disse...

É preciso tomar providencias urgentes, mas pena que as autoridades não tomam iniciativas, e abafam o caso...