domingo, 17 de julho de 2011

Cinema também é lugar para professor de Ciência

Você conhece o Teknê? Ele é formado por um grupo de professores de física que se uniram para pesquisar a História da Ciência,  após conhecerem o trabalho de Pierre Thuillier. Em 2006, quando eu cursava o mestrado em Biociências e Saúde na Fundação Oswaldo Cruz, entrevistei os integrantes desse grupo: Marcos Braga, Andréia Guerra e José Claudio Reis. Nessa conversa eu estava muito interessada em saber como eles usavam a sétima arte para ensinar ciências. Para eles, narrativas como "O Nome da Rosa", "Moça com brinco de pérolas", "Ponto de Mutação" e "Destino" podem apresentar um ambiente histórico que estimula a reflexão sobre o nascimento da ciência moderna.

Eles ressaltaram que tomam cuidado para que o filme não seja visto como mera ilustração de um tópico visto em física. Por exemplo, quando exibem "Moça com brinco de pérola", não exploram apenas as cenas que falam de ótica - como aquelas em que o personagem faz uso da câmera escura:


"A gente até faz referência, mas está muito mais preocupado em discutir o ambiente da Holanda naquele momento, o que a Holanda representou para a ciência, como é que a ciência se faz naquela época, em que medida que essas coisas se articulam com a arte...". (José Claudio Reis)

Sempre que possível, esses professores levam os alunos ao cinema. Mas ao escolher um filme de longa metragem para ser usado em sala de aula, eles preferem fazer interrupções ao longo do filme. Esses cortes são previamente planejados para que os alunos não percam questões que devem ser discutidas. Eles consideram esses intervalos importantes para manter a atenção dos alunos e para respeitar a organização da escola, que em geral mantém tempos de 50 minutos, quando o filme pode ter mais de duas horas. Se contam com a parceria de outros professores e/ou estão em uma escola onde os professores de ciências também podem usar a sala de cinema como ambiente de aprendizagem, buscam promover essas sessões no cinema, não apenas para os alunos das escolas onde lecionam, mas para os professores, dos cursos de "História da Ciência" e nas mostras que promovem.

Foi após essa conversa com o grupo Teknê que eu e minha orientadora Luisa Massarani decidimos usar o "júri simulado" com os jovens que colaboraram na nossa pesquisa, porque eles me contaram que também fizeram essa dinâmica para discutir se na idade média houve ou não atraso da ciência. Percebemos que essa seria uma forma interativa de fazer com que a discussão levantada no filme não se esgotasse nele, mas fosse aprofundada pela turma.

                 *Essa entrevista pode ser lida na íntegra clicando aqui e procurando pelas páginas 161 à 167. Nessa dissertação foi incluída uma coletânea de filmes que apresentam temas ligados à ciência, mas ela não está incluída nesse link. Quem se interessar, peça por e-mail ou pela sessão comentário.

2 comentários:

Iolanda disse...

Silvania, guardei a sua dissertação pra ler mais tarde, com calma e atenção. Cinema e educação foi a primeira opção que despertou o meu interesse na ocasião em que fiz o trabalho de conclusão de curso em pedagogia. Por falta de tempo (e porque sabia que, por excesso de paixão,acabaria por me perder nos meandros desse tema) acabei decidindo por outro tema.Ficarei grata se me enviar a sua lista de sugestões de filmes. iolandamrossato@hotmail.com

Rafaela disse...

Eu sou de Feira de Santana, na Bahia, e me formei no Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Após a formatura, decidi cursar a outra modalidade do curso - a licenciatura. Para mim a sala de aula representa um grande desafio, principalmente no que diz respeito a entender sua função (real e ideal), e a experiência de me formar enquanto professora tem sido instigante, apavorante, geradora de crises e recompensadora (às vezes tudo ao mesmo tempo).

Nesse semestre me matriculei na disciplina TCC 1, e infinitamente mais difícil do que escrever o projeto em si foi a escolha do tema. Era preciso que fosse interessante mas sobretudo útil. Para mim era fundamental que a pesquisa se prestasse a responder alguma pergunta de fato relevante, e não servisse apenas para garantir minha pretenção individual de ter um título.

Ainda estou em processo de elaboração do projeto, mais precisamente na fase de leitura de materiais diversos, e como ele ainda não tomou uma forma definida, não posso te adiantar muita coisa a respeito, mas tem a ver com o audiovisual e a sala de aula de ciências. Ler aquele post no seu blog foi fundamental para eu me decidir pelo tema. Até então tinha outra temática completamente diferente em mente, mas ao ler a matéria, percebi que o que até entao era um hobbie poderia se tornar um campo de atuação. Sou uma apaixonada por cinema, e durante toda a graduação havia participado de mini-cursos, oficinas e palestras sobre o assunto. Nesse mesmo semestre venho participando de uma Sala de Leitura em Cinema, mas contraditoriamente, nunca havia me ocorrido a possobilidade de pesquisar sobre o assunto. Agora estou cheia de idéias, quem sabe alguma delas possa gerar frutos.

A Sala de Leitura "pariu" um projeto de extensão com cinema numa escola do bairro ao lado da universidade, e eu estou me preparando para começar a trabalhar como voluntária. Assim que o projeto começar eu te informo sobre como a sua lista de filmes estará sendo útil. Tenho certeza que será uma ótima contribuição, sem falar na sua dissertação; devo começar a leitura ainda hoje.

Fraterno abraço